Na última semana, a Apple declarou que a Epic Games abriu o processo contra a empresa pela remoção de Fortnite para revitalizar interesse no jogo, que estaria em declínio de acordo com a fabricante do iPhone.

Agora, a Epic arquivou sua própria resposta judicial rebatendo a declaração, dizendo que a companhia usou dados errôneos para a declaração, e que o battle royale continua a ser extremamente popular com o público geral.

“A Apple diz que a Epic abriu este caso para reviver o suposto interesse em decadência em Fortnite, alegando uma queda de 70% no ‘interesse’ entre outubro de 2019 e julho de 2020”, diz o arquivamento. “Mas a Apple usou dados seletivos do Google Trends em relação ao volume de buscas no Google, declarando erroneamente que um pico de uma semana que aconteceu em outubro de 2019, quando a Epic fez um evento dentro de jogo que capturou atenção global. Usuários de Fortnite cresceram neste período.”

O evento em questão foi a criação do buraco negro que deixou o jogo inativo por dias antes do início de Fortnite: Capítulo 2.

Segundo a Epic Games, o número de usuários diários ativos de Fortnite cresceu em 39% neste período de 10 meses, ao contrário do que alega a Apple.

“Os argumentos da Apple tentam focar esta disputa nos seus produtos inovadores, ao invés de suas práticas. Muitos monopolistas começam com produtos extraordinários, no fim cortes precisam intervir se eles usam seu poder para enfraquecer competição”, diz a Epic. “Os argumentos falaciosos da Apple não deveriam distrair do que é uma simples situação apoiada por uma longa lista de casos da Suprema Corte.”

A Epic está em uma batalha legal tanto com a Apple quanto Google por implementar um sistema de pagamento independente, que burla as políticas da App Store e Google Play.