A Gamelanders é a grande campeã do First Strike Brasil! Uma das favoritas ao título desde o começo do torneio, a equipe superou a paiN Gaming por 3-1 e fica com a taça do primeiro torneio presencial de Valorant no país.

Confira o resumo da partida:

First Strike Brasil – Final
Gamelanders – paiN Gaming
Mapas: Bind (Gamelanders), Ascent (paiN), Icebox (Gamelanders), Split (paiN)

O fantasma do pistol não assombrou a Gamelanders na abertura da série, e JhoW garantiu o clutch em cima de Veroneze para colocar o 1-0 no placar. Daí pra frente, foi um passeio compelto da GL, que trouxe uma defesa extremamente competente e não cedeu nenhum round até o oitavo round.

A paiN finalmente pontuou em um “fake do fake”, atacando bomb B, rodando para o A e depois finalmente invadindo o bomb B; 7-1 para a GL. A GL não se intimidou e mwzera abriu o round seguinte com duas eliminações, derrubando a casa dos Tradicionais e pavimentando o 11-1 na troca de lados.

A paiN voltou a pontuar no pistol defensivo em um bom retake na B com murizz e matheuzin, e também trouxe o forçado para garantir seu terceiro ponto. O armado, entretanto, ficou com a GL em um ótimo entry de mwzera, que levou seu time ao match point. Os tradicionais resistiram em dois rounds, mas a GL fechou o 13-5 em um round excelente de Jonn.

A GL também iniciou a Ascent com tranquilidade, abrindo 4-0 e cedendo o primeiro ponto em um round bagunçado da paiN; depois, um round mais organizado dos Tradicionais com txoziN e matheuzin diminuiu a vantagem, mas o pause tático da GL a colocou de volta aos trilhos – 8-4 na troca de lados.

Vencedora no segundo pistol, a paiN até tomou um susto quando a GL impôs uma situação de 5v2 no forçado, mas matheuzin levou três para garantir a vantagem econômica. Muito bem defensivamente, a paiN cresceu no jogo e chegou à virada, rapidamente contestada em mais um ótimo round de mwzera.

Veroneze brilhou com três eliminações de Operator para levar os tradicionais ao décimo ponto, e o 11° veio com murizz garantindo duas eliminações no início do round. A paiN chegou ao match point mas demorou a concretizá-lo, e a GL encostou em um 12-11. No round decisivo, Jonn forçou a prorrogação com três eliminações.

Os times trocaram rounds na primeira prorrogação, mas a paiN garantiu os dois pontos consecutivos no segundo OT para empatar a série – destaque para a capacidade incrível de retakes dos Tradicionais.

Com bsatante a gritaria, a paiN venceu o pistol e o forçado na defesa da Icebox; o time até abriu uma confortável vantagem de 5-1 antes da Gamelanders finalmente reagir: o time alternava bem entre os bombs, e encostou no placar em um lindo clutch 1v3 de Jonn.

Ditando o ritmo depois do clutch, a GL chegou à virada e engatou marcha: foram oito rounds consecutivos – com direito a um belo clutch de fznn no pistol – até que a paiN finalmente respondesse e colocasse o 9-6 no placar.

A locomotiva não parou. Muito sólida defensivamente, a GL encerrou a partida em 13-6.

Mantendo o ritmo na Split, a Gamelanders abriu o mapa decisivo com 4 rounds consecutivos, e teve a sequência interrompida por uma boa abertura de murizz com o Ultimate da Jett.

A paiN até teve outro round na conta, mas a defesa da GL seguia fortíssima e voltou a ceder pontos apenas no último round do half, quando murizz encaixou um clutch 1v2.

Com matheuzin pegando três kills, os Tradicionais respiraram no pistol e chegaram ao 9-5 depois de vencer o anti-eco, mas Jonn abriu o bomb B com maestria e colocou o 10º ponto da Gamelanders no placar.

Se apoiando em Veroneze, a paiN mostrou que não tava entregue: três excelentes rounds do “criança” diminuíram a vantagem para 10-8, mas um forçado com apenas Stingers garantiu o 11º ponto da GL. O match point veio em uma execução clean no bomb A, e o título foi confirmado em um anti-eco.